Arquivo da categoria: Curiosidades

Natal na Disney – Dicas para Passar o Natal em Orlando

O Natal e a temporada de férias de final de ano no Walt Disney World é um dos momentos mais especiais do ano. Este guia vai lhe dar muitas dicas sobre como aproveitar ao máximo o seu natal na Disney e tudo o que ela tem a te oferecer, como a Mickey’s Very Merry Christmas Party, Candlelight Processional, the Osborne Family Spectacle of Dancing Lights.

Se você está visitando Walt Disney World no “Natal”, a primeira coisa que você precisa descobrir é quando você deseja ir. Geralmente as comemorações de natal começam em novembro e vão até janeiro, mas é interessante confirmar direitinho se os parques já estão atualizados com a programação de natal.

Aliás, se você é do tipo que não gosta de multidões, lembre-se que geralmente as semanas entre o natal e o ano novo geralmente são as mais cheias, tanto para viajar quanto para visitar os parques.

Veteranos sabem que a semana entre o Natal e o Ano Novo geralmente são terríveis para viajar, se você não gosta de multidões.

Se você é como nós, e você se importa em viajar no meio da multidão e gosta de uma economia, você definitivamente pode visitar a Disney nessas duas semanas. Em outras semanas, as apresentações da Mickey’s Very Merry Christmas Party geralmente custam cerca de 60 dólares, mas nas duas semanas de natal elas são gratuitas.

Confira abaixo a programação de natal da Disney em 2013, bem como dicas sobre como aproveitar o melhor dos eventos.

Programação da Disney em 2013

Magic Kingdom

Nesse parque acontecem os principais eventos de natal, entre eles a Mickey’s Very Merry Christmas Party. Essa parada é um desfilo com todos os personagens da Disney, vestidos com roupas natalinas.

Em 2013, a Mickey’s Very Merry Christmas Party vai acontecer entre os dias 08/11 e 20/12, sempre começando as 07:00hs da noite. Confira mais informações sobre a Mickey’s Very Merry Christmas Party no site da Disney.

Outra atração importante desse parque é o castelo da Cinderela. No natal, ele é decorado com mais de 300 mil pequenas luzes com efeitos.

Nessa época do ano também acontece, durante às noites, o show de fogos; uma das principais atrações do parque Magic Kingdom.

Epcot

Na época de natal, o parque Epcot tem duas atrações muito famosas, o Candlelight Processional e o Holidays Around the World.

O Candlelight Processional conta com músicas de natal interpretadas por um coral da disney, que além de muitos músicos, também conta com uma orquestra de 50 instrumentos. Além disso, vários contos e histórias de natal (como a história do Papai Noel) são contadas por convidados especiais e pessoas célebres do teatro, televisão e cinema. Em 2013, a lista de convidados especiais conta com Whoopi Goldberg e Sigourney Weaver.

Gostou da programação? Então garanta sua viagem entre os dias 29/11 e 30/12. As leituras e orquestras sempre acontecem em vários horários no palco do America Gardens Theater, sendo eles:

  • 17:00hs
  • 18:45hs
  • 20:15hs

Já o Holidays Around the World apresenta um enorme cenário com diferentes comemorações do natal, uma cada para parte do mundo. Se você tem curiosidade para conhecer as tradições natalinas de outros países e quer economizar na passagem, visitar o Holidays Around the World pode ser uma maneira super interessante de passar o natal em outros países, visitando apenas a Disney.

Além de conhecer o natal no mundo inteiro, no Epcot você também poderá encontrar a mamãe e o Papai Noel. Além do show IllumiNations.

Segue abaixo a lista dos narradores confirmados e os dias das apresentações:
29 de Novembro / 01 de Dezembro – Gary Sinise
02 / 03 de Dezembro – Neil Patrick Harris
04 / 05 de Dezembro – Ashley Judd
06 / 07 de Dezembro – Whoopi Goldberg
08 / 10 de Dezembro – Sigourney Weaver
11 / 13 de Dezembro – Dennis Haysbert
14 / 16 de Dezembro – James Denton
17 / 19 de Dezembro – Edward James Olmos
20 / 22 de Dezembro – Trace Adkins
23 / 25 de Dezembro – TBA
26 / 28 de Dezembro – Blair Underwood
29 / 30 de Dezembro – Amy Grant

Disney’s Hollywood Studios

A única atração desse parque é o The Osborne Family Spectacle of Dancing Lights, que apesar de ser o único show desse parque é um show mais do que espetacular. Milhares de luzes, alinhadas para gerar um efeito 3D fazer parte deste acontecimento.

O Disney’s Hollywood Studios começa no dia 08/11 e vai até o dia 05/01.

Disney’s Animal Kingdom

E quem disse que os bichos ficariam de fora? Nessa época do ano, Mickey e seus amigos se vestem em estilo Safari e desfilam pelo parque. É um evento super divertido para as crianças e com certeza irá agradar também aos adultos. Esses desfiles começam no dia 07/11 e vão até 02/01.

Downtown Disney

Quer comprar uma lembrancinha para seus amigos e parentes, no Downtown Disney você vai encontrar de tudo para as suas compras de natal. Nessa época do ano, essa área da Disney é toda decorada com enfeites de natal, muitas luzes e cores.

Além dos enfeites de natal, as ruas do Downtown Disney ficam mais alegres com várias apresentações de artistas e cantores ao vivo. E você também pode tirar fotos com vários personagens.

Começa no dia 15/11 e vai até o dia 29/12.

Como surgiu o natal? Saiba mais sobre a Origem do Natal

As origens pagãs das tradições natalinas

Muitas das tradições cristãs natalinas que conhecemos hoje tem origem em tempos bem remotos, e em povos considerados pagãos. O natal surgiu como celebração religiosa apenas no século IV, o Papa Júlio I desenvolveu um estudo aprofundado sobre a data de nascimento de Jesus Cristo, e acabou estabelecendo a data oficial em 25 de Dezembro.

Como surgiu a Árvore de Natal?

A origem da árvore de natal se confunde com a própria história do natal. O culto à natureza era muito comum entre os povos pagãos que habitavam a Europa na Idade Média e anteriormente. A árvore de natal era um dos elementos mais adorados devido a força que representava e as lendas sobre Ninfas, o espírito das árvores, muito comum principalmente entre os povos Celtas. A Árvore só foi adotada pelo cristianismo em 1539 na Alemanha. O costume acabou se espalhando pelo mundo devido aos muitos casamentos reais em que as famílias reais alemãs se envolveram.

A origem do Papai Noel

O Papai Noel surgiu de uma mistura de tradição pagã nórdica, cristianismo ortodoxo e publicidade americana. Muito antes da chegada do cristianismo aos países nórdicos, era comum no começo do inverno uma pessoa ser escolhida na tribo para se vestir com peles e sair pela vila representando “O Inverno”. A diferença é que essa pessoa recebia presentes dos moradores que visitava, bebidas e comida em geral, assim a sorte entraria naquela casa. Séculos mais tarde misturau-se à crença a figura de São Nicolau, bispo turco da igreja ortodoxa conhecido por sua bondade, que distribuía dinheiro e presentes aos mais necessitados.

Por fim, nos anos 30, uma campanha publicitária da Coca-Cola (a mais bem sucedida de todos os tempos, diga-se de passagem), vestiu o Papai Noel, que até então usava verde, com as cores da marca, vermelho e branco. O Bom Velhinho nunca mais voltou a vestir verde…

A origem da Ceia de Natal

A ceia de Natal tem origem no Império Romano pré-cristianismo. Lá era comum dar-se banquetes públicos em honra a Saturno, o deus romano da agricultura, força e justiça, o equivalente ao deus grego Chronos.

A origem da Estrela Natalina

A estrela de Natal é dos símbolos natalinos um dos mais cristãos. Apesar de a observação e adoração aos astros ser de tempos imemoráveis em todo o mundo, a Estrela de Natal remete a estrela que indicou o caminho para que os Reis Magos encontrassem a manjedoura em que Cristo nasceu.

A origem dos Presépios no Natal

A tradição do presépio de Natal surgiu no século XIII. Em 1224, São Francisco, um frade da cidade italiana de Assis, adaptou as imagens do nascimento de Cristo pintadas nas igrejas para pequenas maquetes feitas de barro. Surgia assim o primeiro presépio, e desde então a tradição se espalhou pelo mundo cristão.

A origem dos Cartão de Natal

O primeiro cartão de Natal foi criado pelo pintor inglês John Calcott Horsley em 1845. A estampa foi uma família sentada ao redor de uma mesa farta, ao lado da imagem os dizeres “Feliz Natal e Próspero Ano Novo para você”. O cartão foi um pedido de Henry Cole, diretor de um museu inglês. Henry imprimiu mil cópias e distribuiu para amigos e familiares. A forma prática fez sucesso e perdurou até os dias de hoje.

Saiba mais sobre o Nascimento de Cristo

Qual a Verdadeira História do Nascimento de Cristo?

Convencionou-se comemorar o nascimento de Cristo em 25 de dezembro, mas muito provavelmente essa não é a data verdadeira. Isso ocorreu porque os povos pagãos tinham rituais marcados pelas estações do ano. Em 21 de dezembro é o solstício de Inverno, quando o período mais frio do ano chega à metade e os dias ficam maiores e mais quentes. Acredita-se também que o nascimento de Cristo teria ocorrido na verdade entre 5 e 6 d.C, o que faria com que estivéssemos em 2005/6, e não em 2011, mas essa ainda será uma longa discussão. A data de 25 de dezembro teria sido instituída pelo monge Dionísio Exíguo no ano de 753 do calendário romano, ou 753 a.C, sendo assim o ano de 754 de Roma seria o ano 1 do Era Cristã. Lembrando que entre Antes e Depois de Cristo não há o “ano zero”.

Há pesquisadores da bíblia que contestam essa data, que seria correta em 748 do calendário romano. A escolha da data foi uma tentativa de suprimir as festas pagãs romanas em homenagem ao deus persa Mitra, muito popular entre os romanos naquela época, considerado o deus da luz, e que tempos depois se tornaria na mitologia romana Saturno, e a festa seria conhecida como Saturnália.

A meta atingida em algumas décadas, quando os romanos passaram a celebrar o nascimento de Cristo e não mais seus deuses pagãos. Os cristãos primitivos celebravam o Natal com uma grande festa em maio, às vezes em abril, em outras ocasiões em janeiro. Antigos estudiosos da Igreja insistiam na data entre 20 de abril e 20 de maio. Em 1991, o astrônomo britânico Colin Humprey, professor da Universidade de Cambridge, afirmou que a Estrela de Belém teria sido um cometa.

Baseando-se nos seus cálculos, o cometa teria passado pela órbita da Terra cinco anos antes do início da Era Cristã. Apoiando-se nos relatos bíblicos, Humprey concluiu que o nascimento de Jesus ocorreu em abril, provavelmente entre os dias 13 e 27.

Outras comemorações para o 25 de dezembro no passado e no presente

A comemoração do solstício de inverno é muito anterior ao Natal e até ao próprio cristianismo, tendo cerca de 7 mil anos de existência. Saiba o que alguns povos comemoravam e ainda comemoram a data (o solstício de Inverno, não o Natal).

Grécia: os gregos cultuavam Dionísio, o deus do vinho e da vida mansa. Na mitologia romana era o equivalente a Baco.

Egito: os egípcios lembravam a passagem do deus Osíris para o mundo dos mortos.

China: os chineses homenageavam e ainda homenageiam o símbolo do yin-yang, que representa a harmonia da natureza, aquele com círculo que parece ter duas gotas, ou dois peixes que se encaixam, um preto outro branco.

Grã-Bretanha: bretões, celtas e outros povos antigos da ilha, mais primitivos que os do Oriente, faziam festas em torno de Stonehenge, monumento que começou a ser erguido em 3100 a.C. para marcar a trajetória do Sol ao longo do ano. (O monumento não era campo de pouso de discos voadores como alguns dizem.).

Panetone de Natal – História e Curiosidades

A história do Panetone

Uma das melhores coisas do natal é poder deliciar um belo Panetone. Aquele bolinho que pode ser de frutas cristalizadas ou então até mesmo com chocolate, aí então se torna o Choccotone. Mas, quando estamos entretidos com tanto sabor ás vezes nos ocorre como será que surgiu este verdadeiro símbolo do natal.

Vamos descobrir qual a origem de uma das maiores delicias natalinas e depois para encerrar podemos comer um pedacinho de Panetone, que tal? Segundo fontes históricas o Panetone é resultado de uma linda história de amor, não poderia ser melhor.

De acordo com estas fintes um rapaz que morava em Milão no século XV estava muito apaixonado pela filha de um padeiro local, o problema é que o pai da moça não estava muito feliz com essa romance. O rapaz sabia que teria que impressionar o sogro para conseguir finalmente ficar com o seu grande amor.

Sabendo disso ele se disfarçou de ajudante de padeiro e vai trabalhar na Padaria do Toni, o pai da moça. Para que seu sogro o aceite ele cria um delicioso pão doce e atribui esta deliciosa criação a Toni. Não poderia haver jeito melhor de amolecer o coração do sogro.

Este pão doce tornou-se um grande sucesso e a sua forma, dizem, é uma homenagem as cúpulas das Igrejas da época, esperto o rapaz já estava pensando no casamento. O pão passou a ser a grande estrela da Padaria do Toni e quem chegava lá para comprar pedia por “o pão de Toni”, não é preciso dizer que depois de algum tempo o nome foi se modificando e tornou-se o Panetone, mas, na essência ainda é o pão de Toni.

Uma história realmente muito bonita, porém, não temos como saber se é verdadeira. Na duvida por que não acreditar, uma receita que está presente num momento tão bonito e mágico nas nossas vidas, como o natal, tem que ter uma origem de amor. No decorrer do tempo esta antiga receita foi sendo melhorada e aperfeiçoada, desta forma temos um Panetone bem mais gostoso que o do século XV.

As matérias-primas foram sendo aperfeiçoadas e até mesmo a preparação tornou-se mais eficiente. Mas, também devemos destacar que os italianos além de criarem o Panetone também começaram com a tradição de comê-lo nas festas natalinas. Foi um costume que começou com o povo de Milão e rapidamente se estendeu para as cidades do sul do lindo país da bota.

Atualmente, o Panetone tornou-se muito mais sofisticado que o pão de Toni comprado numa simples padaria. Para quem deseja ter essa delicia a mesa da ceia de natal deve-se destacar que pode encontrar alguns exemplares por preços baixos, mas, a grande maioria custa um preço um tanto quanto alto.

Na realidade o que mudou tanto do século XV para cá foi a forma de apresentar o produto, ou seja, nos dias de hoje compramos Panetones em latas, caixas, com motivos de artistas famosos, lindas ilustrações natalinas ou até mesmo Panetones de personagens infantis. Claro que a receita foi aprimorada, mas, o que conta muito nesses casos é também a embalagem.