Saiba mais sobre o Nascimento de Cristo

Qual a Verdadeira História do Nascimento de Cristo?

Convencionou-se comemorar o nascimento de Cristo em 25 de dezembro, mas muito provavelmente essa não é a data verdadeira. Isso ocorreu porque os povos pagãos tinham rituais marcados pelas estações do ano. Em 21 de dezembro é o solstício de Inverno, quando o período mais frio do ano chega à metade e os dias ficam maiores e mais quentes. Acredita-se também que o nascimento de Cristo teria ocorrido na verdade entre 5 e 6 d.C, o que faria com que estivéssemos em 2005/6, e não em 2011, mas essa ainda será uma longa discussão. A data de 25 de dezembro teria sido instituída pelo monge Dionísio Exíguo no ano de 753 do calendário romano, ou 753 a.C, sendo assim o ano de 754 de Roma seria o ano 1 do Era Cristã. Lembrando que entre Antes e Depois de Cristo não há o “ano zero”.

Há pesquisadores da bíblia que contestam essa data, que seria correta em 748 do calendário romano. A escolha da data foi uma tentativa de suprimir as festas pagãs romanas em homenagem ao deus persa Mitra, muito popular entre os romanos naquela época, considerado o deus da luz, e que tempos depois se tornaria na mitologia romana Saturno, e a festa seria conhecida como Saturnália.

A meta atingida em algumas décadas, quando os romanos passaram a celebrar o nascimento de Cristo e não mais seus deuses pagãos. Os cristãos primitivos celebravam o Natal com uma grande festa em maio, às vezes em abril, em outras ocasiões em janeiro. Antigos estudiosos da Igreja insistiam na data entre 20 de abril e 20 de maio. Em 1991, o astrônomo britânico Colin Humprey, professor da Universidade de Cambridge, afirmou que a Estrela de Belém teria sido um cometa.

Baseando-se nos seus cálculos, o cometa teria passado pela órbita da Terra cinco anos antes do início da Era Cristã. Apoiando-se nos relatos bíblicos, Humprey concluiu que o nascimento de Jesus ocorreu em abril, provavelmente entre os dias 13 e 27.

Outras comemorações para o 25 de dezembro no passado e no presente

A comemoração do solstício de inverno é muito anterior ao Natal e até ao próprio cristianismo, tendo cerca de 7 mil anos de existência. Saiba o que alguns povos comemoravam e ainda comemoram a data (o solstício de Inverno, não o Natal).

Grécia: os gregos cultuavam Dionísio, o deus do vinho e da vida mansa. Na mitologia romana era o equivalente a Baco.

Egito: os egípcios lembravam a passagem do deus Osíris para o mundo dos mortos.

China: os chineses homenageavam e ainda homenageiam o símbolo do yin-yang, que representa a harmonia da natureza, aquele com círculo que parece ter duas gotas, ou dois peixes que se encaixam, um preto outro branco.

Grã-Bretanha: bretões, celtas e outros povos antigos da ilha, mais primitivos que os do Oriente, faziam festas em torno de Stonehenge, monumento que começou a ser erguido em 3100 a.C. para marcar a trajetória do Sol ao longo do ano. (O monumento não era campo de pouso de discos voadores como alguns dizem.).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *