O outro lado do Natal – Curiosidades

Se você é do tipo de que gosta de curiosidades sobre os mais variados temas então vai gostar de ler um pouco sobre o outro lado do natal. Nem sempre essa data comemorativa foi essa festa bonita e colorida que celebramos todos os anos. O mais interessante a se saber é que o natal nem sempre foi uma comemoração devido ao nascimento de Jesus.
A Europa foi a pioneira nas festas e rituais nessa época de mês de dezembro e quase sempre com motivações de adoração a algum Deus. Isso se deve ao fato de que essa época de dezembro é o solstício de inverno uma data bastante propícia para as crendices populares aflorarem na sociedade.
Um exemplo é o Yule comemorado na Escandinávia no dia 21 de dezembro. Nesse ritual era necessário queimar uma grande tocha em adoração ao sol. Já os alemães adoravam o Deus Oden que segundo a sua crença fazia voos a noite nessa época para decidir quem seria afortunado ou sem sorte no ano seguinte.
Mas, com toda a certeza a comemoração mais longe do que o natal é e representa hoje era a festa de Roma que fazia do mês de dezembro era o mês da Saturnália comemoração ao Deus da Agricultura e o momento do ano em que se podia fazer qualquer coisa. Isso inclui bacanais, grandes festas, fartura e muito mais. O dia 25 de dezembro para os romanos era especial para comemorar o dia do Deus Mithra que era uma divindade infantil nascida de uma pedra.
Durante muito tempo a Igreja Católica comemorou apenas a páscoa, ou seja, a ressureição de Cristo e a partir do século VI o Cristianismo achou conveniente haver um feriado que comemorasse também o nascimento de Cristo. O único problema é que a Bíblia não fornecia essa data. O imperador Julius viu nesse momento a oportunidade de acabar com os festejos exagerados ao Deus Mitrha e também com a Saturnália instituindo o dia do nascimento de Jesus no dia 25 de dezembro.
A ideia era acabar com a presença de festa pagãs e tornar essas festas de inverno menos tumultuadas e bagunçadas. Uma curiosidade em relação a festa de natal é que na Inglaterra a data, no século XVII, era considerada um sinônimo de baderna. Todos os anos era eleito um “Lord da Baderna” e com sua comitiva de pessoas mais pobres ele seguia para as casas mais abastadas da cidade em busca das melhores comidas e bebidas. As famílias que não fornecessem o que lhes era pedido teriam a sua casa atacada de maneira violenta e também sofriam ameaças. Podemos dizer que era uma espécie de Halloween mais violento. O medo era tanto que durante um tempo as festas foram proibidas na Inglaterra.
Na América a data da festa de natal também já foi sinônimo de violência e confusão no século XIX a festa tinha contornos como os da Inglaterra. A primeira força policial de Nova York foi criada para conter a bagunça durante a época natalina. Nada como ter uma comemoração pacifica e em família como hoje em dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *